Empresas de diversos portes e setores estão investindo na transformação digital para otimizar recursos e expandir seus negócios. No entanto, os avanços tecnológicos têm permitido não somente as organizações aumentarem suas ações no meio digital, como também os hackers. 

Os ataques cibernéticos contra companhias brasileiras aumentaram 220% no primeiro semestre  de 2021, em relação ao mesmo período de 2020. Este dado revela a importância de investir em cibersegurança.

Mas o que as empresas podem fazer, então, para diminuir os riscos às suas infraestruturas de TI? Continue acompanhando o texto e conheça boas práticas para proteger seu negócio no ambiente virtual. 

Cibersegurança: o que é e qual a importância

O conjunto de práticas adotadas pelo setor de TI para proteger os dados de uma empresa contra vazamentos, roubos, fraudes e outros danos, é o que se denomina como cibersegurança. 

Portanto, para as organizações que atuam com informações digitalizadas, como dados pessoais de clientes e contratos sigilosos, é fundamental investir nessa atividade.  No entanto, isso não é muito comum.

Apesar da maioria das empresas brasileiras (81%) avaliarem que a cibersegurança é importante, 39% não a priorizam em seus orçamentos e 68% não contam com um departamento próprio para esse assunto. 

Isso é preocupante, pois de acordo com a mesma pesquisa, apenas 8% das empresas — de setores como educação, finanças e seguros, saúde, tecnologias e telecomunicações e varejo —, afirmaram não ser alvo de fraudes e ataques digitais.

Assim, com o aumento da frequência dos ataques cibernéticos — que, no Brasil, totalizaram 8,4 milhões em 2020 —, as organizações precisam aumentar o investimento em cibersegurança para evitar perdas de dados importantes para o seu negócio, o que pode resultar em perda de credibilidade de clientes e parceiros, além de prejuízos financeiros e penalidades. 

No caso de descumprimento da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) — e dependendo do grau e do tipo de violação do uso de dados pessoais sob seu domínio —, a multa pode chegar a até 2% do seu faturamento.

Leia também: Segurança da informação: 5 dicas para desenvolver sistemas mais confiáveis

Melhores práticas para proteger os dados da sua empresa

Hoje é difícil algum negócio não estar conectado à internet, certo? No entanto, para que isso aconteça sem maiores problemas, é necessário tomar algumas medidas de segurança. 

Desta forma, você evita situações mais graves como, por exemplo, um ataque hacker ransomware, quando cibercriminosos sequestram os dados de uma empresa e pedem resgate em dinheiro para devolvê-los. 

A seguir, listamos algumas práticas de cibersegurança que podem contribuir para você proteger os dados seus e de seus clientes e garantir a integridade dos processos.

Utilizar um sistema de criptografia

Para proteger dados sigilosos, como contratos com clientes e patentes, é recomendado contar com um sistema de criptografia de dados. 

O uso dessa tecnologia fornece segurança na comunicação entre os dispositivos dos seus clientes e os seus servidores, pois “embaralha” as informações trafegadas, impedindo a interceptação por hackers. 

A criptografia contribui, também, para o controle de acesso, autenticação e integridade de documentos eletrônicos.

Saiba mais: Criptografia: como é aplicada na assinatura digital

Aplicar o Certificado SSL

O certificado SSL (Secure Sockets Layer) — ou TLS, sigla para Transport Layer Security — é um protocolo de segurança que além de criptografar o tráfego entre dois dispositivos web, faz a autenticação de uma página na internet para garantir que se trata de um domínio legítimo e seguro. 

Com essa tecnologia, você evita que criminosos usem sua marca em páginas falsas, assim como o ataque de hackers, já que o certificado faz uso de criptografia RSA. 

Investir em tecnologias de certificação digital

Tecnologias de certificação digital evitam a necessidade de impressões, reduzem as chances de perda de informações e permitem a legitimação de documentos eletrônicos de qualquer lugar. 

O certificado digital comprova a identidade do signatário, a assinatura digital viabiliza a autenticação do documento, confirmando os dados do assinante, e o carimbo do tempo registra a data e a hora da assinatura com base em uma fonte confiável.

Estabelecer uma política de cibersegurança

Em média, 52% das empresas brasileiras não contam com uma política de cibersegurança, o que não é uma boa notícia, já que investir só em tecnologia e infraestrutura não é suficiente. 

É fundamental estabelecer uma política interna de proteção, com regras, comportamentos e boas práticas a serem seguidas pelos colaboradores para evitar ameaças à segurança.

Escolha as melhores tecnologias e parceiros

Na hora de investir em tecnologias para aumentar a cibersegurança na sua empresa, busque por parceiros que forneçam soluções e suporte eficientes ou que tenham uma equipe competente para apoiar o desenvolvimento de ferramentas. 

Só integre soluções de terceiros depois de verificar a credibilidade da organização. Essa também é uma medida essencial para proteger suas atividades no meio digital.

Sua empresa ainda não está em compliance com todas as normas, regulamentações e políticas de segurança de documentos e informações? Baixe nosso Guia do Compliance e saiba o que fazer para adequar sua organização!